Buscar

Mitos e verdades sobre as baterias de celular

Atualizado: Abr 1

Atualmente, por meio da utilização dos smartphones, pode-se fazer quase tudo com apenas um toque na tela do celular. Estes dispositivos são considerados como uma das maravilhas tecnológicas do mundo moderno, afinal são capazes reunir diversas funções, que antigamente exigiam uma variedade de aparelhos diferentes para serem realizadas, tais como relógios, calculadoras, agendas telefônicas, máquinas fotográficas, GPS, dentre outras utilidades.


No entanto, com o advento dos smartphones surgiram alguns problemas e crenças como a ideia de que as baterias dos antigos celulares duravam mais ou que as novas baterias ficaram “viciadas”, causando assim muita desconfiança entre o público que desfruta destes dispositivos. Mas será que isso é verdade? Será que as baterias estão, de fato, durando menos tempo? Antes de responder a essas perguntas precisaremos voltar no tempo e saber um pouco mais sobre a história dos celulares.


No início dos anos dois mil os celulares ganharam o mundo, e um detalhe, eram poucos os modelos que tinham os displays coloridos. Os celulares mal tinham jogos ou acessavam a internet e até o envio de uma simples mensagem de texto poderia ser complicada para alguns modelos mais simples. Os mais avançados, por sua vez, conseguiam rodar músicas em formato mp3 e tinham câmeras que registravam imagens no formato VGA. Para essas funcionalidades utilizavam-se baterias com pouco mais de 850 mAh.


No entanto, com o passar do tempo os celulares foram adquirindo novas funções, como acesso à internet (dados moveis), Bluetooth e Wi-fi. Além disso, processadores mais complexos foram adotados para conseguir realizar essas novas tarefas, e com isso também ocorreu a necessidade de aumentar a memória interna. Por essa razão, visando o atendimento destas funções, foram desenvolvidas novas baterias para atender essa demanda, e poucos anos depois já existiam baterias como mais de 2000 mAh circulando no mercado.


As novas baterias ganharam uma capacidade de armazenamento que chega a ser aproximadamente 125% maior do que as suas antecessoras, ou seja, as baterias atuais conseguem suportar muito mais tempo do que as baterias antigas. Ainda assim, as reclamações quanto ao tempo de duração continuam a incomodar muitos usuários.


A conclusão em que pode-se chegar é que por mais que as baterias atuais sejam muito mais potentes, por conta da quantidade de funções que tem um smartphone, elas acabam durando menos do que um celular comum que é usado apenas para ligações e mensagens de texto, pois eles exigem menos energia para realizar suas funções. Além disso, com essa quantidade de funções e aplicativos os usuários adquiriram novos hábitos na utilização dos celulares e o uso continuo deles se tornou muito comum. É por isso que, por mais que não exista bateria “viciada”, a impressão que se tem é que ela está mais fraca com o passar do tempo. Portanto, é injusto comparar baterias de celulares que só ligam e mandam mensagens com a de um smartphone com tantas funções.


A verdade é que, como tudo na vida, a utilização de um dispositivo ou equipamento exige cautela e disciplina. Para as pessoas que necessitam utilizar os smartphones por um tempo excessivo existem opções como os carregadores portáteis ou novos celulares com capacidade de armazenamento de energia maior. Agora você já sabe, essa história de que as baterias estão durando menos é um MITO! Use o seu smartphone com moderação e aproveite as vantagens da era da tecnologia onde muita coisa pode ser resolvida com apenas um toque.


O Blog da Energize também é informação!




  • Facebook
  • Instagram
  • whatsapp

Energize Jr.
©2019 Todos os direitos reservados.