Buscar

Um raio cai duas vezes no mesmo lugar?

Atualizado: Abr 1

“Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar”. Provavelmente, você já ouviu este ditado. Mas não é bem assim que acontece. Ao contrário do que se diz, um raio pode sim cair mais de uma vez no mesmo lugar. O Cristo Redentor no Rio de Janeiro, por exemplo, é atingindo por uma média de 6 raios por ano. Aliás, você sabia que o Brasil é um dos países com maior incidência de raios do mundo? Isso mesmo! Cerca de 50 milhões de descargas atmosféricas atingem nosso país todo ano, causando desastres e mortes.


Quando um raio cai em cima de uma pessoa, a morte é instantânea. Pele e órgãos internos são carbonizados, pois a temperatura é altíssima, podendo chegar a 30.000°C que é aproximadamente cinco vezes maior que a temperatura da superfície do Sol. O mais comum é o contato indireto, onde a corrente elétrica é conduzida pelo chão ou por outras superfícies que tenham sido energizadas pela ocorrência do raio. Dessa forma, uma pessoa submetida a esta situação sofre queimaduras e pode morrer por parada cardíaca. Mas independentemente da forma como um raio pode atingir uma pessoa, o melhor jeito de evitar acidentes, ainda é a prevenção.


Durante as tempestades, deve-se evitar os locais mais altos e a copa das árvores. Além disso, deve-se manter distância de locais com água, tais como as poças, piscinas e praias, além de objetos que possam conduzir eletricidade, como linhas telefônicas ou elétricas e estruturas metálicas. O melhor a se fazer é procurar abrigo em lugares fechados como edifícios e até mesmo dentro de um carro. Além dos riscos aos seres vivos, os raios também causam prejuízos imensos as construções, pois, ao atingirem uma edificação ou uma linha de transmissão, causam, respectivamente, grandes estragos na estrutura e surtos na rede, levando à danificação de diversos equipamentos. Por isso, medidas de proteção devem ser consideradas.


Estas medidas são estabelecidas por normas e são comprovadamente eficazes na redução dos riscos associados às descargas atmosféricas. Uma delas é o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), também conhecido como para-raios, sendo utilizado para proteção, no interior e ao redor de uma estrutura, sendo este o meio mais eficaz contra danos físicos e lesões a seres vivos causados por raios. Não existe uma proteção 100% segura, mas a utilização de dispositivos de proteção diminui os riscos e a probabilidade de danos aos equipamentos e estruturas físicas.


A instalação do SPDA é uma exigência do Corpo de Bombeiros para estabelecimentos industriais/comerciais com mais de 1500 m² de área construída, em edificações com mais de 30 metros de altura, em áreas destinadas a depósitos de explosivos e inflamáveis, e em outras edificações, a critério do Corpo de Bombeiros, quando a periculosidade se justificar, devendo obedecer a critérios de confiabilidade e de segurança.


A Energize Jr. elabora projetos de SPDA. Além de observar as normas técnicas para garantir a eficácia do sistema, também procura interagir com o cliente e/ou responsáveis pelos projetos estruturais e arquitetônicos a fim de sempre buscar a melhor solução que atenda também aos padrões estéticos do ambiente. Informe-se, proteja seu negócio e valorize a vida.

  • Facebook
  • Instagram
  • whatsapp

Energize Jr.
©2019 Todos os direitos reservados.